Esquadrão Suicida estreia oficialmente dia 4 de agosto nos cinemas brasileiros. Mas a nossa equipe já foi conferir a mais nova produção da Warner Bros, o mais esperado filme geek do momento. E aí, será que a DC vai mesmo conseguir rivalizar com a Marvel nos cinemas? Veremos.

Antes de começar a ler, eu quero que você lembre do trailer que lançaram com Bohemian Rhapsody. Lembrou? Pois saiba que o resto do filme inteiro manteve o nível excelentíssimo da trilha sonora, competindo com o famoso Guardiões da Galáxia. Teve Twenty One Pilots, Eminen, Imagine Dragons, Panic at the Disco, entre outros tantos grandes artistas e músicas maravilhosas.

Lembrou dos trailers? Pois agora esqueça os trailers. Se você imaginava que já tinha visto o filme inteiro, se prepare para algumas surpresas.

Os famosos heróis da DC já oficialmente anunciados no filme tiveram seu papel, mas eles não roubaram a cena, o filme é mesmo dos vilões.

Mas seriam vilões mesmo? Se você espera ir para o cinema e ver uns caras maus fazendo muita maldade, bom, esqueça. O filme humaniza bastante os personagens e, em certo ponto, até tenta transformá-los em heróis.

A produção ficou visualmente muito bonita, palmas para a direção de arte. E o roteiro? Bem, o filme começa apresentando rapidamente os personagens, temos o surgimento do vilão e a união do time para salvar a terra. Definitivamente não espere uma história complexa, mas sim muitas cenas de ação misturadas com uma boa dose de alívio cômico. Sim, não crie expectativas de um filme sombrio, nem com cenas muito violentas (afinal temos uma censura para 12 anos).

Dentro do esquadrão, os personagens destaque com mais tempo na telona foram sem dúvida Deadshoot (Will Smith) e Harley Quinn (Margot Robie). Rick Flag (Joel Kinnaman) e El Diablo (Jay Hernandez) também tiveram seus momentos, já alguns personagens como Captain Boomerang (Jai Courtney), Katana (Karen Fukuhara) e Killer Croc (Adewale Akinnuoye-Agbaje) foram bem esquecidos e um tanto desnecessários, Slipknot (Adam Beach) foi o melhor exemplo de mais irrelevante impossível, em uma das (talvez várias) cenas que poderiam ter sido facilmente cortadas sem prejudicar em nada o filme. As expectativas em cima do Joker de Jared Leto estavam altíssimas, mas o personagem não foi tão bem aproveitado como deveria. E a relacão entre o Joker e a Harley Quinn acabou sendo representada de uma maneira muito diferente do que a maioria das pessoas esperava. Por outro lado, Viola Davis rouba a cena como Amanda Waller, um dos maiores destaques do filme.

Com Batman vs Superman sendo uma continuação direta de Homem de Aço, a DC resolveu estabelecer uma cronologia e interligações em seus filmes. Esquadrão Suicida se passa claramente no mesmo universo, cronologicamente depois dele. Mas, apesar de claramente fazer parte da linha do tempo, o filme não adiciona muita história ou acontecimentos relevantes para o universo cinematográfico da DC. A cena pós-créditos (sim, tem uma cena pós-créditos!) foi mais um gancho para o futuro filme da Liga da Justiça.

A verdade é que Esquadrão Suicida não foi um filme absurdamente ruim (vide o novo Quarteto Fantástico, por exemplo), mas também passou longe de ser um filme absurdamente bom. Talvez o maior problema tenha sido as grandes expectativas criadas. Tivemos uma ideia com um potencial muito maior, que não foi assim tão bem aproveitada.


Hachi

Graduado em Letras. Professor por profissão, escritor por paixão. Fascinado pelo universo Geek desde 98, quando me deram um disquete com Pokémon Yellow. May the force be with you.